segunda-feira, 9 de julho de 2012

O Poder das Ideias. O que é e de Onde vem?

"Originalidade, Conceitos, Inovações, Auto-conhecimento..."

Discutir ideias é uma forma sensata, simples e barata de certificação ao meio. É uma forma válida do sujeito entender que ele está entre outros tantos iguais, e que podem por sua vez pensar diferente.

Se buscarmos a origem do termo "ideia", vemos que assim como muitas palavras da nossa língua, deriva do grego: idea ou eidea, cuja raiz etimológica é eidos – imagem e o seu significado, desde a origem, implica a controvérsia entre a teoria da extromissão (Platão) e a da intromissão (Aristóteles). No centro da polêmica está o conceito de representação do real (realidade).

Fui buscando entender porque esse momento de tentar descobrir o outro e tentar se descobrir no outro é tão importante para nós e para o nosso desenvolvimento, tanto na sociedade, quanto para nós mesmos. Não descobri nada de novo. Apenas percebi que descobriria um pouco mais sobre capital cultural, sobre valores e formas diferentes de se colocar diante das situações criadas a partir do outro ponto de vista, de como as coisas funcionam, da forma que devemos contribuir para o mundo.Afinal de contas, porque discutimos ideias? Porque é tão importante dar de saber das coisas que você pensa? Porque sentimos essa necessidade?A medida em que o tempo vai passando e nos situamos adultos de um mundo onde as informações fluem de uma forma cada vez mais frenética, sentimos a necessidade de encontrar semelhanças e diferenças no outro.
As vezes não percebemos logo de imediato o valor que tem essa necessidade e essa reação natural. Eu por exemplo, aprendi o que isso significava a alguns meses, e fiquei maravilhado!
A busca por capital cultural é um dos principais motivos que favorecem essa interação, esse compartilhamento de informações e características de si, como você enxerga o mundo ou um fato por exemplo. É um momento particular onde precisamos nos despir de vergonhas, negligências e quaisquer outros motivos que nos prendam dentro de um determinado contexto. O momento ideal de usar a famosa frase que está na boca de todos nós:-Por quê?

A intenção de discutirmos ideias é crescimento, transcendência. Momento de rever, comparar e analisar conceitos seus e do outro. Momento que muitas vezes quebra paradigmas.
A partir do momento em que questionamos os radicais do nosso próprio ponto de vista, temos acesso ao código fonte dele, e passamos a fazer uma leitura mais apurada de como ele foi formulado conscientemente ou inconscientemente nas nossas mentes.

Musicas, livros, fotografias, videos, filmes, lugares, pessoas, posições, objetos, nuvens... Tudo pode remeter ao poder da Ideia. 
As ideias tem um papel digno de serem consideradas a origem de ações, origem de projetos, origem de atividades. Afinal de contas, as ideias são por assim dizer, o combustível do mundo e suas artes.Com o passar do tempo podemos manipular a forma como essas ideias são mantidas.
Desde cria-las e aumentá-las, até a destruí-las e resumi-las ao pó.

Na maioria das vezes, não nos damos conta de como elas nos influenciam muitas vezes a fazer coisas, tomar atitudes. Ela não necessariamente precisa ser sua para que você a compreenda como justa para ser seguida, mas nunca é bom apenas se confiar em ideias soltas, fora de contextos e fundamentos. Sendo dessa forma, podemos imaginá-las como palavras ao vento.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Os Smartphones que protegem reserva indígena e sua Relação com Zygmunt Bauman


"... três incursões de têcnicos do Google na aldeia suruí que fica nas proximidades de Cacoal (RO). Em 2008, eles ensinaram os jovens da tribo da usar o Google Earth e a montar um blog. Em 2009, capacitaram os índios a usar smartphones para flagrar a ação de madeireiros, caçadores ou pescadores ilegais na floresta. Desde então, grupos de 20 índios se revezam em longos plantões que podem durar até 15 dias na mata. No último ano, considerando apenas flagrantes de madeireiros ilegais, foram registradas cinco ocorrências. Os índios gravam as imagens, marcam a posição exata do delito com a ajuda do GPS e enviam os dados para a Polícia Federal e a Funai..."
- Foto divulgação - 

Trecho de uma reportagem de André Trigueiro, jornalista com Pós-graduação em Gestão Ambiental pela COPPE/UFRJ onde hoje leciona a disciplina “Geopolítica Ambiental”, professor e criador do curso de Jornalismo Ambiental da PUC/RJ, autor dos livros “Mundo Sustentável 2 – Novos Rumos para um Planeta em Crise" (Ed.Globo, 2012); "Mundo Sustentável - Abrindo Espaço na Mídia para um Planeta em transformação" publicada no Portal G1 - na sua coluna de ecologia, que achei bem interessante e de um certo ponto de vista questionável. 


Como sempre soubemos de diversas formas população indígena sofreu grandes abusos desde que a exploração da Mata Amazônica começou a ser mais intensificada. Um caso que retrata o total abandono de entidades políticas e governamentais que quando acontece alguma coisa de ruim com os índios, aparecem do nada com seus projetos de lei, com seus programas de assistência e afins aos nossos ancestrais. O texto de André Trigueiro mostra parte desse problema.  Evidencia os problemas que enfrentaram quando perceberam que foram deixados de lado, por interesses em terras, por interesses financeiros dos governos e pela participação dos grandes fazendeiros juntos com esses representantes. Mostra a luta de um índio que sobreviveu a ataques por defender as suas terras e que viajou por 31 países e apresentou justamente esses problemas que esses brasileiros enfrentam. 

Quando li a matéria, percebi que nas entrelinhas, continham mais informações do que eu imaginava. Mais do que o próprio autor pode expressar.
Além de toda a luta e esforço que o povo indígena tem feito, além de todos os ataques, todas as matanças, todas as disputas por terras, todo o sangue derramado, percebi outras coisas que me despertaram para essa ideia de "explorar além".

Levantei então alguns pontos que me ajudaram a fundamentar uma opinião, que ao fim do texto ficará clara. O intuito dessa reflexão é analisar a forma como interpretamos esses acontecimentos e o fato de aquela comunidade indígena do Suruí ter fechado uma parceria assim com a equipe do Google. Entender quando aquele povo indígena começou realmente a ser assistido pela Funai e pela Polícia Federal, em relação aos crimes ambientais que todos os anos levam embora boa parte da floresta.

Primeiro,
O povo indígena é o mesmo povo Brasileiro, da sociedade contemporânea. Eles tem direitos garantidos constitucionalmente. Existe um órgão que cuida das questões indígenas e além disso, existe outro órgão que cuida da proteção a natureza e preservação do meio ambiente.

Segundo
Esses órgãos de proteção ao índio e proteção ao meio ambiente não tem políticas sérias que cuidem e preservem o público que atendem. Não foi má ideia colocar Smartphones nas mãos dos indígenas, mas se isso realmente vai ajudar a resolver o problema ou não, é outra questão a ser analisada. 

Terceiro ponto, e talvez o mais intenso de toda essa reflexão sobre o real valor dos indígenas para uma sociedade que abusa até onde lhes é permitido e só depois vem com a cara de pau de perguntar se "esses irmãos querem mais alguma coisa".

Todos nós temos direito a informação, todos nós temos direitos de defender a ideologia que escolhemos, mas quem já parou pra pensar que os índios nesse caso são vítimas também, assim como as reservas ecológicas e toda a população que defende a preservação do meio ambiente?
Os problemas não mudaram. O que mudou foi a forma como passamos a aceitar e entender essas questões.
Podemos entender de outra forma que os índios, que foram alvo de muitos agressores por vários anos seguidos porque tentavam defender sua cultura de produção e de uma forma geral, que forçados a participar desse processo de modernização líquida onde  tudo é volátil, as relações humanas não são mais tangíveis e a vida em conjunto, familiar, de casais, de grupos de am
igos, de afinidades políticas e assim por diante, perde consistência e estabilidade. 

Quem já se deu conta de que a verdade é que os índios hoje passam por um desenraizamento forçado, causado por um sistema que não dá chance nenhuma de exercer o direito de ter direitos para essas comunidades indígenas e tantas outras distribuídas pelo país? Infelizmente, acompanhamos de perto o assassinato de toda uma história. A execução de uma cultura que faz parte das nossas raízes. Os índios foram sufocados. E são cada vez mais dia após dia. 

Eles são tão vítimas quanto nós, que perdemos os valores e somos sujeitos aos caprichos de uma mídia elitista, que se preocupa com escândalos políticos apontando os erros deles mesmos numa guerra sem fim e negam-se a informar com seriedade e compromisso com o povo como prometem. Tão vítimas quanto nós, cidadãos, que somos obrigados a presenciar eventos de políticos corruptos, que negam-se a estudar e pôr em prática estratégias e soluções para os problemas de uma população que necessita de cuidados, esses que são garantidos por lei, que deveriam ser prioridades, como educação, trabalho e segurança e sempre são colocados para escanteio e plano de fuga para eleições de quatro em quatro anos. 

Serviram de fontes para essa dissertação:

quinta-feira, 21 de junho de 2012

O Valor do Processo Criativo



Criar não é uma arte restrita a grupos específicos de artistas, filósofos ou coisas do tipo.É uma atividade comum a todos nós, que somos capazes de raciocinar e estrategicamente levantar questões e possibilidades e utilizar de ideias para promover, vender, estudar... Deve ser um momento priorizado de uma forma geral e valorizado sim, em todos os seus estágios. 
O processo criativo é portanto um momento que merece todo o respeito e concentração possíveis. Publicitários, Técnicos de operações, Artesãos, Atores, Jornalistas, Cozinheiros, Pedreiros e todo e qualquer tipo de pessoa... são capazes de fazer criações. 
Se engana quem pensa que o processo criativo é coisa apenas de gente grande. Crianças podem e fazem sempre coisas que impressionam bastante... sejam fotos, sejam desenhos, sejam versinhos, cartas, poemas. Essas produções infantis são de certa forma as criações mais lindas e mais apaixonantes do mundo, por não envolverem interesses políticos, financeiros... não tem intenção de chocar com a maldade ou com perversões.

Desenhos produzidos pro Crianças :)

Quando vamos crescendo, esse processo continua atuando em nossas vidas, nas nossas relações sociais. Mas tem que adequar melhor e passa por mudanças para isso.
São analisadas três habilidades que geralmente precisamos desenvolver no decorrer da vida. 


ANÁLISE

Quando tomamos um experimento ou situação para si, e daí damos o passo inicial para uma criação, seguimos um caminho. Esse caminho portanto é baseado em análises. Um cuidado importante que devemos sempre tomar é se estamos pensando sempre de forma crítica, se estamos relacionando os pontos corretamente e se aquela argumentação vai de alguma forma influenciar o leitor/telespectador a interpretar de outras formas o assunto.

SÍNTESE

compreende a habilidade de conceber novas idéias ou produtos resultantes de um conjunto de idéias já existentes, sejam elas relacionadas ou não. Indivíduos criativos costumam ‘enxergar’ o que os demais tem dificuldade de perceber. Tais indivíduos têm a habilidade de descobrir coisas novas, fazendo conexões de idéias aparentemente não relacionadas.A síntese requer uma grande capacidade imaginativa. Indivíduos criativos, via de regra, são tomados por momentos de extrema imaginação, fantasia e devaneios. Eles têm facilidade em manipular conceitos e idéias, modificando, adaptando ou criando a partir idéias existentes. Há neles um constante interesse em aperfeiçoar produtos e idéias.


SONDAGEM E MAPEAMENTO

Pessoas criativas, em geral, possuem enorme curiosidade sobre muitas coisas e mostram-se sempre interessadas questionar quase tudo, senão tudo. Elas também demonstram interesse por áreas não relacionadas são capazes de inventar coisas a partir de idéias desconexas. Elas formam associações entre idéias dissociadas no campo de estudo e tempo, bem como entre idéias sem quaisquer relacionamento lógico. Pessoas que costumam realizar esse mapeamento, tem mais probabilidade de encontrar e transformar em um texto, conceito e ideia algo abstrato em algo real e prático.

O processo criativo é desordenado. Então, você pode questionar: se não há um conjunto de procedimentos, como uma receita de bolo, que possa seguir, então não há como aprender ou desenvolver tal habilidade. Não pense desta forma, pois todos somos criativos, uns em maior e outros menor grau.

sábado, 16 de junho de 2012

O Indivíduo Frente a Ética: Democracia e Progresso


Não é difícil dar-se conta que ÉTICA PROGRESSO e DEMOCRACIA são fatores que fazem parte de um ciclo que se for alimentado e compartilhado, tem a capacidade de refletir mais a diante uma sociedade bem melhor, com índices cada vez mais positivos de crescimento e desenvolvimento. 


Até poucos anos, nós brasileiros vivíamos um período negro, em que dificilmente ouvia-se falar de políticas que tratassem da defesa da mulher, da proteção aos índios, de penas a crimes contra crianças, a ataques de âmbito religioso, sexual dentre outros. Os representantes políticos e grupos sociais fizeram muito por isso. Dessa forma, somos felizes ao afirmar que É POSSÍVEL SIM, no Brasil existir competência em políticas públicas que defendam de fato os interesses do "povo". Não podemos é nos conformar com tão pouco diante disso. Só isso NÃO BASTA!


A democracia não consegue por si só, resolver problemas de saúde, segurança, trabalho... muito menos a ética, que depende insistentemente de um pilar importantíssimo que é a Educação, e que a Democracia não consegue manter. Elas nunca trabalham sozinhas. Na teoria, os direitos cidadãos são sempre muito seguros, diretos, e bem claros, mas na prática, eles não são nada! Nem se comparam e não atendem a grande parte da população. Vai-se embora todo o estudo, toda a pesquisa e toda a credibilidade de um país que diz-se igual para todos. Vai-se embora o poder do eleitor. Vai-se embora as ideias, as vidas de trabalhadores! Vai-se embora toda a singularidade que pode ser aplicada ao termo NAÇÃO. 

O compromisso e todo o investimento de quem acreditava vai-se sem deixar rastros, levando embora a esperança. Não é isso que eu quero. Não é isso que eu desejo pro meu povo. E com certeza sozinho não conseguiremos. Sozinhos dificilmente chegamos a algum lugar. 


Ter ética não significa "não falar mal das pessoas". Ética vai bem mais além e remete a ideia de Equilíbrio social, de valores e princípios. Ter ética e lutar pela defesa de uma democracia são passos primordiais para a busca de uma sociedade que valorize a si mesma, que lute na busca de um governo que faça o voto valer! Sem isso, o progresso não acontece. Nós podemos perceber que para tudo isso acontecer, para toda essa máquina funcionar, é necessária a nossa participação.  O que os alimenta e o que os faz capazes é uma ação que nos coloca como na posição de patrões. Você já pensou desse ponto de vista?



Serviram de Fontes para esta pesquisa:




quinta-feira, 7 de junho de 2012

"S.O.S Sustentabilidade" A Degradação do Meio Ambiente em nossas vidas



Foto: João Alves - Kodak m575 - 01/05/2012 - 09:31

A Origem do Dia do Meio Ambiente
O Dia 5 de junho é o dia que é comemorado no Brasil e no mundo o dia do Meio Ambiente desde 1972, quando em um encontro promovido pela ONU (Organização das Nações Unidas), que visava tratar de problemas ambientais nos países ali representados foi realizado. O Movimento Ambiental teve início a mais de um século atrás, como resposta à industrialização que começava a criar tamanho e formas maiores que a esperada.
Esse movimento ficou cada vez mais em evidência por alertar toda a população do mundo por muitas ações irresponsáveis ou mal pensadas relacionadas a extração desenfreada, o tráfico de animais, de plantas, o desmatamento e principalmente a poluição devido a grande produção de lixo dentro das grandes cidades.
A conferência reuniu 113 países, além de 250 organizações não governamentais, em que a pauta principal abordava a degradação que o homem tem causado ao meio ambiente e os riscos para sua sobrevivência, de tal modo que a diversidade biológica deveria ser preservada acima de qualquer possibilidade.
Dentre as organizações não governamentais que compareceram, estava a recém nascida Greenpeace que foi até a reunião afim de protestar contra um novo tipo de poluição que colocaria em risco ainda maior as reservas e os biomas norte americanos: A utilização de testes nucleares no Alasca e EUA.
A data está relacionada às discussões sobre a poluição do ar, do solo e da água; desmatamento; diminuição da biodiversidade e da água potável ao consumo humano, destruição da camada de ozônio, destruição das espécies vegetais e das florestas, extinção de animais, dentre outros.

1974 - O Brasil começa Atividades de Preservação Ambiental
A partir de 1974, o Brasil iniciou um trabalho de preservação ambiental, através da Secretaria Especial do Meio Ambiente, para levar à população informações acerca das responsabilidades de cada um diante da natureza. Os governos e prefeituras em alguns anos começaram a desenvolver e criar seus projetos e órgãos que servem até hoje como grande apoio ao povo na preservação e conscientização de questões ambientais. Aqui no Ceará, contamos com a Semam (Secretaria do Meio Ambiente e Controle Urbano) e Cemace (Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente). Esses órgãos são de grande importância para todo o território estadual e é através deles que garantimos que nossos direitos quanto cidadãos e responsáveis pela manutenção deles ocorra sempre de forma regular. 


A Realidade é essa:
Mas em face da vida moderna, os prejuízos ainda estão maiores quando em algumas ocasiões percebemos que uma organização dessas acaba por cometer falhas que muitas vezes passam despercebidas.
E esse problema levanta muitas opiniões diferentes que nos intriga muitas vezes. A população sabe dos problemas, mas não existem politicas sérias para o tratamento do lixo e regularização de leis ambientais. O dinheiro compra todos os valores que se podem imaginar. Até mesmo os valores de quem nada tem a perder. Isso muitas vezes me parte o coração, mas é uma dura realidade. Nosso governo e prefeitura não colocam profissionais sérios em cargos de extrema importância, e quem sofre os danos maiores somos nós, que dependemos desses serviços e desses projetos. Só coletar o lixo não basta! Ele necessita de tratamento e de cuidados especiais.
A coleta seletiva não existe nem na metade dos estados brasileiros e o reaproveitamento e reciclagem não atingem um número tão significativo diante da quantidade de lixo que o país produz.. Tudo é desproporcional e por fim o meio ambiente é o único que sofre as consequências desde o início do processo até o fim do mesmo. Rios, mananciais, florestas. mangues, praias e vários outros ecossistemas tornam-se depósitos de resíduos ogânicos, químicos inorgânicos.


Uma possível solução
É importante que a população seja conscientizada dos males causados pela poluição do meio ambiente, assim como de políticas que revertam tal situação. E muitas vezes isso até é feito, mas com grandes impasses. Segundo dados do IBGE numa pesquisa realizada em 2009, o Ceará produz por dia 1.150 toneladas de lixo por dia. Esse número é um dado de 2009, levantado a três anos atrás. Suponhamos que não tenha havido nenhuma grande mudança na coleta, nem implementação de outros aterros
sanitários na cidade, essa quantidade apenas cresceu, assim como o numero de habitantes evidentemente aumentou. 
Existem medidas que podem ser tomadas para evitar a exacerbada produção de lixo dentro de nossas casas, exercendo assim, uma atividade digna de bons cidadãos: Não jogar lixo nas ruas, usar menos produtos descartáveis, evitar o consumo exagerado de energia elétrica e o consumo desnecessário de água. Limitar o uso do carro, limitar o uso do plástico, Reaproveite as embalagens, Limitar o uso de aparelhos que utilizem pilhas, Não usar isopor, por ser totalmente não-biodegradável, Não jogar lixo na praia, nem no meio da rua e o mais importante: Procurar projetos políticos que trabalhem com questões ambientais e tomar consciência que toda luta é válida, quando se tem determinação. 

Sustentabilidade é o PODER!                                                                                                  Pouco se havia até a alguns anos falar em sustentabilidade. Esse termo com certeza fará toda a diferença daqui pra frente. Suas definições são bem específicas, sendo um termo que é usado para definir "ações e atividades humanas que visam suprir as necessidades atuais dos seres humanos, sem comprometer o futuro das próximas gerações. Ou seja, a sustentabilidade está diretamente relacionada ao desenvolvimento econômico e material sem agredir o meio ambiente, usando os recursos naturais de forma inteligente para que eles se mantenham no futuro. Seguindo estes parâmetros, a humanidade pode garantir o desenvolvimento sustentável." Edição e Revisão de João Alves

Serviram de fontes para essa pesquisa:




Acessados respectivamente em 07/06/2012